O blog das mamaes no Reino Unido

Criando Brasileirinhos Mundo Afora – Suica

Este mes, vamos ficar sabendo como e criar um brasileirinho/a na Suica, pais dos alpes e do chocolate. A Ana, vem nos contar um pouco a sua experiencia como mae de duas mocas.

Fale brevemente sobre voce e o que a levou a morar no pais onde esta:

Meu nome é Ana Cristina Zeidan, pisciana de 44 anos, nasci na Capital de Sao Paulo. Me formei em Admin. de Empresas com especialização em Compras e trabalhei no departamento de compras da Philco-Hitachi (este era o nome da empresa naquele tempo). Faz 20 anos que vivo na Suiça. Em uma de minhas férias de trabalho fui para Natal – RN, conheci meu marido (Enrique, de origem espanhola, nascido em Lausanne) e nunca mais nos separamos. Este ano faremos 21 anos de casados!

Quantos filhos tem e qual a idade deles?

Temos 2 filhas: Luana de 18 anos e Diana de 15 anos!

Como e ser uma mamae brasileira no pais onde mora? Aponte semelhancas e diferencas se comparado a mamaes locais.

É muito bom ser uma “Mamãe brasileira” aqui na Suíça, em 1° lugar, por manter intensamente um elo familiar carinhoso e alegre! Os suiços possuem inúmeras virtudes, porém são frios e distantes ao demonstrarem seus sentimentos. Minhas filhas desde pequenas ja notavam a diferença do ambiente em casa com as casas das amiguinhas. Em 2°lugar ensino às minhas filhas a nossa cultura da Perseverança e Criatividade, para mim esta é uma das “marcas” mais forte nos brasileiros.
Aqui na Suiça quase tudo é adquirido com muita facilidade e principalmente os jovens (sobretudo os da geração das minhas filhas) tendem à desistir facilemte de suas idéias, objetivos e sonhos.

Com quantos anos a crianca comeca a escola e qual o horario escolar? A crianca come na escola ou leva lancheira de casa? Escola particular ou publica?

Aqui na Suíça a maioria das escolas são Públicas e cresce à cada dia mais o número de escolas Particulares devido às nescessidades das famílias em uma sociedade moderna. Por exemplo, nas escolas públicas o horário de entrada nas classes muda para cada nível (!!!) Imaginem as mães que precisam trabalhar com 2 ou 3 filhos, cada filho num ano escolar diferente e horarios diferentes! É de enlouquecer e este fato satura as creches, assim como outros meios de guardar as crianças. As escolas públicas ainda mantêm um sistema da época onde as mães não trabalhavam.
As escolas funcionam mais ou menos assim:
4 à 5 anos o Pré-1 – das 08h45 às 11h45 – 13h45 às 14h45
5 a 6 anos o Pré-2 – das 07h30 às 11h45 – 13h45 às 15h30
7 à 10 anos Escola Primária – das 07h30 às 12h – 13h45 às 16h30
11 à 12 anos  5° e 6° série – segue o mesmo horário da E.P.
13 à 15 anos 7°, 8° e 9° série – fim da escola obrigatória
16 à 18 ou 19 anos = Gymnase e em seguida Universidade ou uma formação técnica.
Para as famílias onde as mães também trabalham, as vagas nas creches são raras e caríssimas (o preço é de acordo ao salário familiar). Existe a alternativa de “Maman de jour” um pouco mais en conta, porém a criança fica aos cuidados de uma outra família durante o dia.
Para a mãe que pode parar de trabalhar e cuidar dos seus próprios filhos até a idade dos 10 anos é mais interessante à nível de Imposto de Renda e muito mais à nível de educação dada pela própria mãe. Esta foi a minha
sorte!!
Aqui na Suíça a criança leva o seu próprio lanchinho. Os hábitos alimentares suíços são muito saudáveis: légumes e frutas!

Voce trabalha ou e mamae em tempo integral?  Voce tem empregada/diarista – como e a sua rotina emprego/escola/casa?

Eu tive a sorte de ser mamãe por tempo integral até a minha pequena completar 10 anos e durante este tempo concluí uma formação em Kinesiology (Cinesiologia Aplicada – Memória Muscular). Desta maneira renovei minha atividade profissional e hoje trabalho no meu consultório com muito prazer e satisfação.
Aqui na Suíça não é costume ter uma diarista ou empregada e este serviço custa caro, de 25,00 à 32,00 francos suícos p/hr. Normalmente o casal divide as tarefas domésticas, aqui é comum ter um marido que lave roupas e passe o aspirador. Hoje minhas filhas são grandes e mesmo tendo uma diarista em casa eu divido responsabilidades domésticas para cada um da família como continuidade da educação, colaboração participativa.
Em casa, todos trabalham e estudam até as meninas fazem “uns bicos” ,pequenos trabalhos como baby sitting e dar aulas de matemàtica, para
aprenderem a valorizar o que se ganha. Com isso, em nossa família, cada um de nós têm sua tarefa.

Que lingua e falada na sua casa, no caso do seu marido nao ser brasileiro?

O meu marido só fala em francês com nossas filhas e eu falo tanto em português como em francês. Confesso que quando elas eram menores eu me esforçava mais para falar em português, cantar as cantigas de roda, os versinhos e as lendas brasileiras. Hoje falamos normalmente os dois idiomas, certas expressões ficam melhores em português e outras em francês… Assim são os lares ricos em idiomas, não é mesmo?

O/s seu/s filho/s falam portugues? Como voce passa a cultura brasileira e a lingua para os seu/s filho/s?

Minhas filhas falam bem o português, mas não o escrevem tanto quanto… É uma pena que a Embaixada Brasileira não organize cursos de lingua portuguesa em todos os estados na Suiça. Os cursos de português só são oferecidos onde nas cidades dos Consulados: Genebra e Zurique. Luana e Diana por serem também espanholas elas cursam gratuitamente 1 vez p/ semana classes do Instituto Cervantes dado pela Embaixada Espanhola em
diversas cidades suíças.

Mantenho a cultura brasileira através de filmes, livros e músicas.

Como sao comemorados os aniversarios infantis no pais onde mora?  Voce celebra o dos seus filhos “a brasileira”?

Os aniversãrios de nossas filhas sempre foram comemorados com bolos, docinhos e salgadinhos um pouco à maneira brasileira, mas também à maneira suíça que aprecio particularmente pela maneira mais simples e natural de festejar.

Como voce lida com a falta da familia por perto ( pelo menos da sua parte se nao tiver ninguem)? Com que frequencia voce leva os seus filhos ao Brasil?

A ausência da familia é algo bem interessante; de um lado podemos educar nossas filhas sem nenhuma influência familiar e por outro lado fica faltando a cumplicidade que poderia-se ter com os avós, com os tios, os primos e outros membros da família. Sendo assim tudo se concentra na única célula familiar que é o papai, a mamãe e os filhos. Creio que a relação da nossa pequena família vivida aqui no exterior, é mais densa e com mais
envolvimento em todos os níveis.
Vamos ao Brasil à cada dois anos; um ano é minha família que vem, no outro somos nós que vamos.

Voce cozinha culinaria brasileira? Que tipo de pratos voce faz em casa para a familia? Voce encontra ingredientes como por exemplo, polvilho, para fazer pao de queijo, aonde mora?

A culinária aqui em casa é bem variada, como sou de origem japonesa, sempre hà 1 prato japonês por semana, mas também faço um feijãozinho com farofa e toda a família adora! Na verdade eu adoro cozinhar e aprendi a realizar pratos de diversas nacionalidades e me divirto muito na minha cozinha! Temos a sorte de encontrar com facilidade uma variedade infinita de ingredientes típicos da culinária do mundo inteiro! Existem alguns pontos de vendas de lojas brasileiras com serviços de compra e entrega via internet que funciona super bem.

Voce faz parte de alguma comunidade (onde mora) de mamaes brasileiras que se reunem para comemorar datas e passar a cultura brasileira e lingua portuguesa para as criancas?

Não faço parte de nenhuma comunidade de cultura brasileira, infelizmente este serviço da comunidade brasileira fica em Genebra, onde ha o Consulado e para min torna-se um pouco longe.

Por favor, deixe uma mensagem para as outras mamaes que tambem estao criando brasileirinhos mundo afora.

Se o nosso destino nos levou para evoluirmos mundo afora e com isso fundamos uma família e criamos os nossos filhos, então que o façamos com dignidade, amor e alegria! Respeitando a nossa história, quem somos, de onde viemos, mas aproveitando também as qualidades positivas do país onde estamos vivendo! Esta é a nossa sorte, onde podemos enriquecer esta qualidade de educação que damos aos nossos filhos. É verdade que sentimos saudades de tantas pessoas e de tantas coisas da nossa terra, porém, se passarmos o nosso tempo aqui nos lamentando do que nos falta, não veremos as maravilhas que nos cercam e não cumpriremos a nossa missão!

O que mais aprecio aqui na Suíça é poder criar minhas filhas com segurança, onde elas podem ir caminhando para a escola,  podem tranquilamente pegar um trem, ou um ônibus para se divertirem com as amigas nos parques públicos que são super bem cuidados e lindos!
A educação e o respeito é um ponto forte no povo daqui, assim como aprender a manter o seu patrimônio. O povo aqui é menos consumista que no Brasil e as crianças e adolescentes adquirem valores que os manterão mais autônomos no futuro.

Muitissimo obrigada querida Ana, pela entrevista tao rica em informacoes. Concordo com voce quando menciona que temos que manter a mente aberta para poder apreciar o lado bom de onde estivermos, assim nossos filhos sairao ganhando, tendo o melhor de dois mundos, crescendo bilingues e enriquecidos com conhecimento de outras culturas, que em alguns casos, passara a ser a deles tambem.

A Ana Zeidan e terapeuta com especializacao em Cinesiologia Aplicada. Ela atende na sua clinica Therapies Integrees.

 

2 Responses to Criando Brasileirinhos Mundo Afora – Suica

  1. Rita Dorneles says:

    Bem legal o ponto de vista da Ana. concordo que todos os lugares tem coisas positivas e negativas e cabe a nós sempre enfaitizarmos o lado positivo das coisas, dos lugares, das pessoas….Assim todos nós sairemos ganhando. Gostei ;-)

  2. Ana Pires says:

    Achei muito interessante saber da diferenca entre a Suica e Portugal, onde moro. Assim como voce Ana, tambem me chamo Ana, moro em Portugal a 24 anos e tenho duas filhas portuguesas. Bj

Leave a Reply