O blog das mamaes no Reino Unido

Criando Brasileirinhos Mundo Afora: Hungria

Esta vez vamos ate a Hungria, para ficar sabendo como e a vida de uma mamae brasileira por la. A Carol vai contar um pouquinho para nos.

Fale brevemente sobre voce e o que a levou a morar no pais aonde esta:

Meu nome é Carolina Godinho Rosa Szabadkai, tenho 33 anos e nasci e vivi em Sorocaba-SP, até me mudar para a Hungria.  Moro na Hungria ha 11 anos.  Meu marido é hungaro, fez intercâmbio no Brasil durante 1 ano, nos conhecemos quando havia apenas 2 meses restante de sua estadia, mas como o amor foi a primeira vista, decidimos que tínhamos que fazer algo para ficarmos juntos. Longa história, mas convencemos meus pais de que eu teria que vir para a Hungria – não me pergunte como, nem eu sei – e aqui estou. Minha história com mais detalhes pode ser vista neste post, no blog de uma amiga: http://donacaramela.com/?p=53

Quantos filhos tem e qual a idade deles?

2 filhos – 5 e 3 anos

Como e ser uma mamae brasileira no pais aonde mora? Aponte semelhancas e diferencas se comparado a mamaes locais.

Eu adoro ser mãe na Hungria, nós tentamos viver no Brasil e ficamos por lá 8 meses, então pude fazer um balanço de como é ser mãe lá e aqui. O Brasil tem suas vantagens, claro, como nossa grande família, os primos e todo o paparico da família toda, que acaba ajudando nos finais de semana, onde você fica mais livre para relaxar enquanto seu filho passa de colo em colo pela família toda. Mas na Hungria existe a segurança que eu não sentia lá, uma espácie de tranquilidade tb, posso sair a pé com eles para parques e creio que aqui a alimentação seja levada mais a sério, as crianças comem mais verduras e coisas saudáveis que no Brasil, não que eu não deixe escapar uma porcaria de vez enquando, mas em geral você encontra menos disso por aí, todas as crianças comem frutinhas e legumes de lanchinho, o que diminui a possibilidade de seu filho ficar passando vontade e aumenta o interesse por esse tipo de coisa. Noto que aqui o consumismo tb é menor, a pressão não é tão grande vida de amiguinhos. Claro que tb falam de brinquedos, mas no Brasil eu percebia que as crianças já sabiam marcas e modelos das coisas e as propagandas eram um bombardeio nesse sentido. Aqui se vê menos tv também, creio que pelo fato de sempre haver um parque bonito por perto, as casas terem grandes jardins e a caminhada ser algo seguro. Eu mesma saio muito com meus filhos a pé, mas no Brasil ficavamos meio restritos a casa, já que par air a um parque tinha que ir de carro, depender de outros para me levarem ao Zoológico, etc… Gosto de como as coisas são aqui, aprendi a ser mãe aqui, talvez por isso enxergue assim, talvez não tenha tido tempo de me adaptar ao Brasil, amo o Brasil, fui criança lá, mas no meu tempo tínhamos um sítio onde passávamos o tempo livre e que hoje já virou cidade. Não sei mais lidar com o Brasil, onde vivi, precisaria de mais tempo para me acostumar.

Com quantos anos a crianca comeca a escola e qual o horario escolar? A crianca come na escola ou leva lancheira de casa? Escola particular ou publica?

Aqui as escolas são publicas, a grande maioria, existem uma ou outra que são para estrangeiros, em inglês e tb que usam outros métodos de ensino e são pagas, mas meus filhos, como a maioria dos hungaros, estudam em escola pública, que são excelentes.  Eles ainda estão no prézinho, o pré é  aberto das 6 as 17 horas e as crianças entram e saem a hora que querem, conforme o horário de trabalho dos pais. La eles ganham café da manhã, almoço e café da tarde, bem ricos, o que dispensa essas refeições em casa. Algumas vezes pego meu filho logo depois do almoço, mas ele pode ficar se quiser e tirar um cochilo até as 15 horas, onde todos acordam para o café da tarde e depois mais brincadeiras.

Voce trabalha ou e mamae em tempo integral? Voce tem empregada/diarista – como e a sua rotina emprego/escola/casa?

Sou mãe tempo integral, mas estou levando o Clube das mães e pais blogueiros como trabalho sério, então considero-me uma mompreneur.  Empregada eu não tenho, mas contratamos uma faxineira, que veio apenas uma vez, por enquanto, mas que salvou minha vida e pretendo continuar usando seus serviços. Estou super animada com essa ajuda. Não dá para trabalhar sério e ter uma casa toda bagunçada ao lado, uma ajudinha, nem que seja a cada 15 dias, é preciso, para uma concentração no que se está fazendo. Pelo menos esse é meu caso, tem super mulheres que conseguem manter sozinha, não é o meu caso.

Que lingua e falada na sua casa, no caso do seu marido nao ser brasileiro?

Meu marido fala português perfeitamente, eu falo com ele e com meus filhos em português, mas ele fala com as crianças só em hungaro. Foi o que combinamos desde o começo, mesmo predominando o português em casa, que ele falaria a própria língua com os filhos.

Os seus filhos falam portugues? Como voce passa a cultura brasileira e a lingua para os seus filhos?

Falam muito bem português e húngaro. Eu só falo em português com eles, mesmo sabendo húngaro, e tb canto todas as noites as músicas que acho importante que eles conheçam e vai desde boi da cara preta, até Vinícius e Toquinho, que acho importantíssimo. Procuro diversificar as músicas. Também leio muito para eles, que amam livros! Temos também alguns DVDs com desenhos em português e eles não têm preferência pela língua, entendem igualmente as duas e separam bem, dependendo com quem falam. Costumam traduzir se eu peço que eles falem algo para o pai.

Como sao comemorados os aniversarios infantis no pais aonde mora?  Voce celebra o dos seus filhos “a brasileira”?

Aqui o pessoal não costuma fazer festa com temas, mas eu faço “a brasileira” sim. Cantamos parabéns nas duas línguas e tem brigadeiros e sfiha, que costumo fazer só nessa ocasião, por ser trabalhoso.

Como voce lida com a falta da familia por perto ( pelo menos da sua parte se nao tiver ninguem)? Com que frequencia voce leva os seus filhos ao Brasil?

A falta da família é o mais difícil nisso tudo, as crianças se sentem em casa tanto na minha família quanto na do meu marido. Mantemos conversas pelo Skype, meus pais vêm uma vez por ano pra cá e ficam por 1 mês e eu procuro ir todo ano também. Acho muito importante o contato, não trato a viagem para o Brasil como superfluo, fazemos sacrifícios para podermos ir sempre.

 

Voce cozinha culinaria brasileira? Que tipo de pratos voce faz em casa para a familia? Voce encontra ingredientes como por exemplo, polvilho, para fazer pao de queijo, aonde mora?

Adoro cozinhar! Faço pratos brasileiros e húngaros, creio que somos bem ricos de cardápio… Mas não são todos os ingredientes que são facilmente encontrados não, o polvilho é um que muito raramente se encontra por aqui, já nem procuro mais. Mas faço arroz com frango, feijão, polenta, bife a parmegiana, strogonoff(não é brasileiro, mas é ao estilo brasileiro que faço, bem diferente do daqui)…

Voce faz parte de alguma comunidade (aonde mora) de mamaes brasileiras que se reunem para comemorar datas e passar a cultura brasileira e lingua portuguesa para as criancas?

Eu moro ao sul da Hungria, longe da capital, onde se encontram os brasileiros, na sua maioria. Conheço vários através da internet e sempre que vou até lá me encontro com alguma brasileira. Agora faço parte do Conselho de Cidadãos Brasileiros na Hungria, criado pela embaixada e essa comunidade visa juntar os brasileiros em eventos e também ajudar aos que estão chegando de fora.

Por favor, deixe uma mensagem para as outras mamaes que tambem estao criando brasileirinhos mundo afora

É difícil viver fora, longe da sua cultura, vendo coisas diferentes do que você costuma, muitas vezes o diferente incomoda, mas o mais importante é escolher ser feliz. Sim, escolher, porque você escolhe ver o lado bom de tudo, ver as diferenças como dádiva, como oportunidade única, ver a beleza dessas diferenças. Você escolhe viver feliz como um turista que vive descobrindo lugares lindos e diferentes, que se interessa sobre aquela cultura. Não vale a pena ficar olhando para o que você não gostou ali, ou reforçar que isso e aquilo é melhor no Brasil. Escolha ver o que é melhor onde você vive e viva como se estivesse num conto de fadas. É tudo uma questão de escolha e ponto de vista. Escolha o “copo meio cheio”.

Querida Carol, muito obrigada pela otima entrevista.  E bem verdadeiro que nao e facil as vezes, morar fora, mas, temos duas opcoes como voce mencionou,  tentar ou nao ser feliz. 

Quem quiser conhecer um pouquinho mais sobre a Carol, ela escreve no Diario de uma mae brasileira na Hungria.



 

4 Responses to Criando Brasileirinhos Mundo Afora: Hungria

  1. Daniela says:

    Apesar de falar com a Carol todo dia, foi muito legal ver na entrevista um pouquinho mais dessa pessoa querida.

    Para mim foi um presente ter conhecido a Carol!

  2. Carol says:

    Ah, Dani, que linda você é! Também adorei te conhecer amiga e logo nos veremos de perto. ;)
    Ann, muito obrigada pela matéria linda! Adorei aparecer por aqui!
    Muito sucesso pro Amarelinha!
    Beijinhos!

  3. Que post bacana! Bem realista no quesito costumes/vida no Brasil e na escolha do “copo meio cheio”. Memorável!!!
    Beijosss

  4. Beta says:

    Papo bom, fotos lindas! Adorei te conhecer melhor, Carol.

Leave a Reply