O blog das mamaes no Reino Unido

Criando Brasileirinhos Mundo Afora: Estados Unidos

Desta vez temos a Cristiane, mamae brasileira morando nos EUA, contando a sua estoria e experiencia de como e criar um Brasileirinho Mundo Afora.

Fale brevemente sobre voce e o que a levou a morar no pais aonde esta:

Cristiane Fernandes do Amarante Fetter, hoje com 39 anos, carioca, casada com um brasileiro a quase 18 anos..

Quanto tempo mora fora do Brasil?

Moramos aqui em New Jersey a quase 4 anos.

O que a levou a morar no pais aonde esta?

Meu marido foi convidado pelo empresa onde ele trabalha a administrar o braço americano.

Quantos filhos tem e qual a idade deles?

Um  menino de quase 6 anos.

Como e ser uma mamae brasileira no pais aonde mora? Aponte semelhancas e diferencas se comparada a mamaes locais.

Intrinsecamente é  a mesma coisa, o que muda são as adaptações que temos que fazer e as escolhas para criar este filho. Para mim é muito difícil não ter a família perto, vivenciar o crescimento do filho perto dos avós, tios e primos, esta convivência que dá a nós seres humanos a noção de dividir nosso amor e tempo com outras pessoas que são parentes mas que não vivem(normalmente) conosco. Decidir se você irá insistir para que seu filho fale a língua materna, se aprenderá os costumes do seu país também faz uma grande diferença.

A grande diferença que eu vejo em relação a outras mães (locais) é que elas tem este apoio que eu sinto falta. Agora mesmo vai ter um dias dedicado aos avós ou pessoas mas velhas e que são importantes na vida do meu filho, como fazer? Ele não consegue entender ainda que para a gente isto é difícil e em muitos momentos eu até me sinto culpado por tirar esta parte da vida dele, já que eu vivi muito intensamente este convívio.

É uma equação bem complicado de se resolver

Com quantos anos a crianca comeca a escola e qual o horario escolar? A crianca come na escola, leva lancheira de casa? Escola particular, publica?

No condado onde moro tudo depende da cidade que você escolhe para viver. Algumas tem classes de pré alfabetização, já outras cidades só disponibilizam o inicio já na alfabetização, ou seja, seu filho pode começar a freqüentar uma escola aos 3,5 ou aos 4 ou aos 5. Deixando claro que esta é a opção para quem coloca o filho em escola pública, que é o nosso caso.

Quando chegamos aqui decidimos que ele iria para uma creche particular,  pelo menos 2 vezes por semana, assim ele já iria se acostumando com a língua local e os costumes também, e esta decisão foi ótima por um lado e terrível no aprendizado do português. Ele começou a freqüentar esta creche com 2,5, hoje com quase 6 ele iniciou o kindergarten, mas já chegou lá alfabetizado porque eu insisti nisso, tanto em inglês quanto em português. Sempre o estimulei a ler e ele sempre me viu fazendo isso, sempre viu que este é um hábito aqui em casa, então ele ama ler e escrever.

Hoje ele entra no colégio as 08:15 e sai as 14:50 e leva o lanche de casa, o que mudou completamente nossa rotina, já que sigo o estilo brasileiro, um almoço reforçado e um jantar mais leve, mas com esta alteração tudo mudou.

Voce trabalha ou e mamae em tempo integral?  Voce tem empregada/diarista – como e a sua rotina emprego/escola/casa?

Como eu digo em um dos meus blogs (www.todoyda.blogspot.com): Executiva, com ênfase em administração financeira, gerência de compras, organização e orientação de pessoal, métodos e conflitos, blogueira, leitora frenética, alegre, falante, brigona, teimosa e pisciana, ou seja, uma pessoa quase normal.

Ou seja, sou mãe em tempo integral, mas considero esta denominação incorreta, afinal de contas neste exato momento eu não estou mãe, estou blogueira, rs.

Esta foi outra grande mudança em minha vida. Eu sei fazer tudo de uma casa, como minhas amigas dizem, sou prendada, mas no Brasil sempre tive empregadas, aliás na última casa eu tinha uma mensalista, uma passadeira que vinha toda semana, alguém para ajudar com o jardim e aqui o que eu tenho? Meus dois braços e os do marido quando ele tem tempo. Sempre valorizei o trabalho dos empregados que trabalharam na minha casa, mas hoje em vez de pagar mil reais eu pagaria 5 mil reais.

Minha rotina atual ainda está em fase de adaptação, já que levanto cedo, preparo o filho para o colégio, vou a academia, volto para casa, tento blogar, faço as rotinas da casa, pego o filho, lanche, dever de casa com ele e depois tento dar mais atenção a este menino que tem muita energia, mas esta última parte está em adaptação porque tem dias que ele está cansado e tira uma soneca, tem outros que não e tudo também depende do tempo. Se estiver frio a gente não sai, já se tiver é possíve realizar atividades fora de casa.

A única coisa certa é que nas segundas é dia de arrumar a casa.

Que lingua e falada na sua casa/ no caso do seu marido nao ser brasileiro?

Em casa é obrigatório o português, meu marido que é brasileiro até tenta burlar as regras e de vez em quando eu o pego falando em inglês com o filho, mas aí rola uma bronca básica e tudo se ajeita.

Os seus filhos falam portugues? Como voce passa a cultura brasileira e a lingua para os seus filhos?

Hoje a língua principal de meu filho é o inglês, mas já há muito tempo ele entende que comigo tem que falar em português até porque se não fizer isso eu me recuso a responder. Para algumas pessoas isso pode ser até chocante, mas esta é a forma que eu tenho de obrigá-lo a pensar nesta língua e até hoje deu certo, tanto que ele faz a troca de uma língua para outra sem problemas.

Ele tem sotaque, tanto que o chamo de filho gringo e até postei um vídeo dele sobre isso (http://todoyda.blogspot.com/2009/08/filho-gringo.html) , mas a base gramatical, o sotaque da mãe e gírias ele entende.

Ele está em uma fase onde a curiosidade está superlativa e estou aproveitando isso para falar mais sobre as coisas do Brasil, por exemplo: que temos o dia da criança, o carnaval, as brincadeiras infantis, etc.

Mas desde pequeno ele ouve e assiste a programas brasileiros. No carro as músicas que mais tocam são brasileiras e as que ele está curtindo agora são as do Trem da Alegria. Também temos canais brasileiros na TV, assim ele também tem a oportunidade de estar em contato com este aspecto da nossa cultura.

Como sao comemorados os aniversarios infantis no pais aonde mora? Voce celebra o dos seus filho/s “a brasileira”?

Acho tão pobre o jeito americano de se comemorar um aniversário. Primeiro porque a duração média é de 1 hora e é sempre a mesma coisa. As crianças sentam a uma mesa, comem uma pizza, levantam brincam um pouco depois sentam de novo, cantam o parabéns, comem um bolo e acabou. Ein? Que é isso minha gente. Nada contra a cultura daqui, mas eu acho muito fraquinho. Estava acostumado a festas brasileiras onde o envovimento de todos era muito grande, onde as crianças se acabavam de brincar e onde o aniversariante estava exausto e feliz no fim do dia.

Este é o terceiro aniversário que meu filho passa aqui. 2 deles foram comemorados na escola e 1 no Brasil.

Eu gostaria de fazer um aniversário brasileiro, mas por vários motivos ainda não consegui e um deles é que eu e meu filho fazemos aniversário em fevereiro, ou seja, no inverno, o que me desistimula bastante. Vamos ver como será o próximo.

Como voce lida com a falta da familia por perto (pelo menos da sua parte se nao tiver ninguem)? Com que frequencia voce leva os seus filhos ao Brasil?

Vou ser muito sincera, é muito, mas muito difícil para mim. No Brasil eu ia pelo menos 3 vezes por mês a casa de meus pais, sem contar as vezes que eles vinham até a minha. Eu sou a filha mais velha e meu filho é o neto mais velho, então já viu como éramos paparicados, rs.

Sinto muita falta e como já escrevi antes até uma dose de culpa por meu filho não crescer com esta convivência. Ainda não tive outro filho por isso.

O meu planejamento era de ir 2 vezes por ano, mas infelizmente ficou difícil e agora mais complicado com a entrada dele no ensino regular, porque aqui falta é  coisa séria, então agora é uma vez por ano só.

Voce cozinha culinaria brasileira? Que tipo de pratos voce faz em casa para a familia? Voce encontra ingredientes como por exemplo, polvilho, para fazer pao de queijo. aonde mora?

Eu tenho muita sorte, já que eu moro relativamente perto de uma cidade que tem uma grande comunidade brasileira, então alguns produtos que para mim são básicos eu encontro com muita facilidade. Por exemplo: eu não consigo comer o arroz branco vendido em mercados americanos, já tentei de várias maneiras, mas o gosto é muito diferente, então eu só compro arroz brasileiro, que aliás é bem barato do que o outro.

A culinária básica aqui em casa é brasileira, o jeito de fazer, etc, mas de vez em quando rola uma comida internacional é claro, porque viver em uma outra cultura e não experimentar o que ela tem é até incompreensível.

O que não falta da minha casa é: pão de queijo, guaraná, azeite de dendê, café  melita, manteiga itambém, requeijão, carne seca e canjica. Outros produtos que eu estava acostumado no Brasil eu encontro facilmente nos mercados aqui, mas são de uma marca espanhola.

A comida ajuda a diminuir a sensação de expatriamento, traz conforto e pesa também, rs.

Voce faz parte de alguma comunidade (aonde mora) de mamaes brasileiras que se reunem para comemorar datas e passar a cultura brasileira e lingua portuguesa para as criancas?

Infelizmente não, porque apesar de ser relativamente perto eu demoro mais de 1 hora para chegar a esta cidade, então fica bem difícil o envolvimento com este tipo de grupo, mas se morássemos mais perto com certeza eu participaria.

Por favor, deixe uma mensagem para as outras mamaes que tambem estao criando Brasileirinhos Mundo Afora.

A minha mensagem é: Não fiquem com medo de pedir ajuda. Eu senti isso na pele. Ficava com vergonha, até mesmo por não dominar a língua. Achava que as pessoas não iriam entender o que o filho estava dizendo, por ai. Já que normalmente estamos sem nossa família por perto, é imprescindível que criemos nosso próprio núcleo de apoio. Isto para mim faz toda a diferença entre se sentir adaptado e se sentir um estrangeiro no país que moramos.

Obrigada Cristiane por dividir a sua experiencia conosco. E sempre enriquecedor ficar sabendo como as mamaes se sentem ao tentar criar os pequenos longe da familia, do apoio que ela oferece e com outra cultura a ser assimilada. Boa sorte!


Se mais alguma mamae Criando Brasileirinhos Mundo Afora quiser participar da entrevista e so entrar em contato comigo.

2 Responses to Criando Brasileirinhos Mundo Afora: Estados Unidos

  1. A Cris focalizou bem o problema que é educar os nossos filhos sem a família por perto. Mas tb nao devemos por causa disso passar a vida lamentando. Eu vejo assim: Cada um tem sua vida prá seguir e que legal que vc junto a seu marido e filho estao tendo uma oportunidade de aprender coisas novas e diferentes. Qto mais ficarmos lamentando o que nao temos em volta nao iremos conseguir ver as coisas boas que estao nos acontecendo. Entao é colocar pensamento positivo e procurar tirar o maior proveito de todas as coisas que estao sendo oferecidas no momento.

    Cris, acho que vc nao deve se sentir culpada. A vida e assim e você deve ver tudo isso com outros olhos. Olhos mais positivos. Por que nao outro filho? Você certamente conheceria outras maes para o pré natal e faria contato…além do que um irmaozinho iria deixar o teu filho bem feliz.

    Essa sorte com a culinária brasileira eu já nao tenho por aqui. Tenho que comprar via net e ai nao dá. Mas eu cozinho bem misturado, chinês, alemao, frances, italiano entao tanto faz.
    Mas sinto muitas saudades das nossas comidas.

    Cris, muito legal a sua mensagem, é isso mesmo, temos que abrir a boca e pedir ajuda. O bom é procurar manter um bom relacionamento com os vizinhos, isso ajuda bastante.

    Legal te conhecer mais um pouquinho, gostei.

    Um bjao

  2. Vivian says:

    Adorei !!! sempre tive preocupacao com a adaptacao dos meus filhos fora do PAÍS E AGORA ESTOU COMEÇANDO A ME TRANQUILIZAR

Leave a Reply